Yeti foi o nosso primeiro Shar-Pei. Nós compramos ele de um dos melhores e poucos Canis de Shar-Pei que existiam na época, o Canil Canecittá de Claudia Dantas.
Ela importou a mãe do Yeti já grávida de um macho americano maravilhoso e muito conhecido, o Finger Tails Kahlua Cream.  
O Yeti nasceu no Brasil, mas seu pedigree é americano, inclusive um dos últimos }Shar-Peis a ser registrado ainda pela The Chinese Shar-Pei Club of America. Adquirimos ele porque gostamos da aparência dos filhotes, todos enrugados e porque queríamos ter um cão de companhia para ficar dentro de casa, pois nessa época criávamos Rottweiler.
Desde o primeiro dia que ele entrou em casa, cativou a todos. Ficamos envolvidos pelo temperamento dele e definitivamente mudou a nossa vida. Tivemos muita sorte com ele. Nos deu muitas alegrias e foi o fundador de nosso Canil.

Entramos nas pistas com ele de pura brincadeira e ele acabou se tornando o Shar-Pei mais premiado na época, inclusive, foi o primeiro Shar-Pei a ganhar um Best in Show no Brasil.
 
Prêmios recebidos pelo Yeti:
CANECITTAS YETI COLIN – 30 / 11 /1991
Campeão Brasileiro
Grande Campeão Brasileiro
Campeão Panamericano
Campeão Internacional
Campeão America e Caribes
Best In Show

Nosso Canecitta´s Yeti Colin conhecido simplesmente pelo nome de Yeti foi o fundador do nosso canil e o responsável pelo nosso envolvimento com a raça. Ele nasceu em 1991 e morreu em Março de 2004, ou seja com 13 anos.Sempre teve uma saúde de ferro e tal vez teria vivido mais alguns anos se não fosse pela torsão de estômago que causou a sua morte. Ele é o nosso patriarca e a origem dos nossos tão famosos cremes.Obrigada, Yeti, por ter entrado em nossas vidas!!!
 
Ao contrário de alguns outros canis, o nosso principal objetivo nunca foi criar filhotes para pista mas a nossa preocupação sempre foi a saúde, temperamento e beleza de nossos cães e produzir filhotes dentro do padrão, com saúde e com temperamento dócil. Animais que vão fazer parte das famílias aonde vão, proporcionando assim felicidade e alegrias para seus novos donos.Com todo amor, carinho e dedicação, conseguimos prosperar…Estamos situados em uma área de 1500 m2 dividida em três partes:A casa principal com seu jardim, onde aloja uma turma de cães, e mais dois jardins para as outras duas turmas de cães. Todos nossos cães são criados livres e em constante contato com os criadores, por isso, podemos dizer que são criados em família. Nós moramos junto com os cães, supervisionando pessoalmente o desenvolvimento deles e de seus filhotes.O canil fica na praia de Ubatuba, na ilha de São Francisco do Sul, perto da Cidade de Joinville no Estado de Santa Catarina. O ar puro e ensolarado facilita a boa saúde e desenvolvimento de nossos cães.

Somos pioneiros da raça no Brasil, criando e nos preocupando em aprimorar estes maravilhosos cães desde 1991, zelando sempre pela melhora da raça de acordo com o padrão.
Chegou o novo milênio e com ele também algumas mudanças em nosso plantel. Sempre visando melhorias, não medimos sacrifícios para produzir cães melhores.
 
Buster é neto do Yeti e atual líder da turma de casa. Ele tem um temperamento muito calmo e mantém uma liderança de forma amorosa, pois convive pacificamente com mais 2 machos adultos e 7 fêmeas, todos soltos con livre acesso em casa.
Nossos filhotes são socializados em casa e a nossa principal preocupação é com a saúde e temperamento de nossos cães, pois é isto que vão passar para os filhotes. Todos nossos cães são dóceis e carinhosos e vivem soltos em locais espaçosos.
Depois de ser “fisgada” pelo temperamento e beleza do Yeti, mergulhei de cabeça na raça e fiz muitas amizades com criadoras e amantes da raça em USA, Europa e outros países das Americas. A nossa primeira importação foi uma fêmea mini adulta vermelha maravilhosa do Kiper´s Kennel, um dos Top Kennels na época (1995). A nossa menina chamava Kiper´s Cover Girl (Covy) e ela e o Yeti nos trouxeram filhotes maravilhosos. As primeiras fêmeas a fazer parte do nosso plantel vieram de excelentes linhas de sangue, a nossa Zuo´s China Beijing que era filha do Campeão Americano muito famoso na época o Tzo Wen´s Audacious (Audi), uma fêmea vermelha muito bonita e também a nossa fêmea dourada de linha de sangue francesa Aisha Honix Amur-Ashar. 

Antes de começar com os azuis ainda importei vários cães vermelhos com linhagem creme e comprei o nosso Quellesieger Eddie Murphy, filho duma fêmea importada maravilhosa. Sem esquecer de mencionar a minha menina que veio da Slovenia, a Golding Obsession (Obi), do Golding Kennel e que fechou todos os campeonatos, inclusive o Americas e Caribe e que agora está aposentada com 12 anos e uma excelente saúde. E também a fêmea Margen´s Taste of Honey (Honey), que também ficou Campeã. O Murphy está aposentado atualmente mas tem a linha de sangue dele em muitos dos nossos cães.
 
Começamos a nos interessar por esta nova cor e decidimos investir neles.
Depois de importarmos 2 machos e 3 fêmeas azuis da Europa, USA e Argentina, não ficamos satisfeitos com a forma que estes cães se desenvolveram no biótipo e temperamento muito elétrico, decidimos investigar mais a fundo nesta cor tão especial. Tivemos a sorte de importar o nosso macho azul da Argentina, o Mel Lilac Al Stylus Dah Let (Blue) que veio a nos trazer tudo que esperávamos dos azuis: temperamento calmo e bonachão, estrutura de ossatura pesada e cabeça forte. Daí trouxemos a nossa fêmea liláz (Lilac) de USA, a nossa Dreama, que foi o primeiro shar-pei lilac a vir para o Brazil. O Blue e a Dreama foram a raiz dos nossos azuis. Depois importamos de um canil inglés em Portugal, a nossa amada Brilho de Prata da Cascata Rochosa (Silver), uma fêmea lindíssima de cor silver sable e forte portadora de azul. Infelizmente a nossa Silver nos deixou o ano passado por conta dum cáncer no estômago, mas ficamos com seu filho, o nosso Wanton que tem a mesma estrutura pesada, cabeça forte e linda e o mesmo temperamento doce e brincalhão da mãe. Também trouxemos a nossa Donna, fêmea liláz dum exelente canil da Espanha, o Dragon de Koshi.

Estes 4 cães e mais o nosso flowered azul Boomer Bailey, importado do Canadá e a nossa fêmea flowered preta (portadora de azul) Seventh Heaven Xin Qian, importada de USA são a origem de nossos azuis, lilacs e isabelas dos quais estamos muito orgulhosos…
 
Até a virada do século participamos ativamente de muitas exposições e tivemos vários campeões e campeãs como a Aisha, China, Cover Girl, Iona, Freeway, Beijing (BIS), Chocolate Royale, Golding Obsession, etc. Também exportamos muitos filhotes para USA, Canadá, Europa e as Américas, sendo que varios deles se sobressairam nas pistas dos países onde foram exportados.Nesses anos do começo da nossa criação investimos muito nos cremes, chocolates e apricots (diluidos). Depois da virada do século mudamos para a nossa nova casa na práia de Ubatuba com um terreno muito grande e decidimos ampliar nosso plantel e entrar com novas cores.Foi aí que comecei a pesquisar sobre os azuis e sobre os tão falados Flowereds (duas cores).

 
Um dia nasceu no canil um filhote lindo branco com preto, fruto do cruzamento do Yeti com a Cover Girl. Levei um susto pois nunca tinha visto um shar-pei de duas cores. Comentando isto com uma das minhas amigas criadoras de USA fiquei sabendo que eram chamados de flowereds e que eram muito raros pois da mesma forma como os azuis, o gene é recessivo (tem que estar na genética do pai e mãe). Fique sabendo que em USA eram muito requisitados pela beleza e por serem tão raros e como fiquei apaixonada com eles decidi investir a fundo. Importei 2 machos de USA, 1 macho do Canadá e uma fêmea de USA, todos eles com pedigree da American Kennel Club e do Canada Kennel Club. E foi desta forma que começamos com nossos flowereds.Atualmente eles são aceitos somente em USA e Canadá como sendo uma variedade da raça e tanto eu como alguns criadores do Brasil estamos lutando pelo reconhecimento deles aqui. Eles não podem participar de exposições, mas são vendidos como pets. Ao contrário do que alguns criadores de mentes fechadas afirmam, eles não são “mestiços”, eles tem o seu próprio padrão que é exato ao do shar-pei sólido com a diferença no quesito cores.

Eles precisam ter um mínimo de 50% de branco e qualquer outra cor dentro do padrão do shar-pei. Ou seja, não é qualquer shar-pei manchado que pode ser considerado um flowered. Atualmente contamos com vários exemplares flowereds no canil, fruto dos que foram importados, dos quais o único que ainda é vivo é o CJPEI´s Boomer Bailey, nosso macho flowered azul do Canadá.”
 

, 09/08/2017

Entre em contato